a arte de dar [e levar] um fora

19 04 2007

Levei um “pseudo” fora. Não foi exatamente um fora porque não tinha uma relação firmada com o sujeito. Fiquei triste, não porque estava apaixonado, mas porque levar fora sempre dá aquela revirada no ego. Depois disso fiquei discutindo com uma amiga quais eram os piores foras da nossa vida e começamos a fazer nossa listinha, que obviamente descobrimos que eram parecidas, afinal são poucos os criativos em tal arte.
*O problema não é você, sou eu: disso eu não tenho dúvida, afinal para chegar à conclusão de que você é um problema, quem sou eu para discutir?

* Você merece alguém melhor: como alguém pode saber melhor do que eu o que eu mereço? A gente sempre acredita que merecemos até mais do que merecemos, então se você foi capaz de enxergar que há alguém melhor ali na frente me esperando, libera logo para que outro não chegue à minha frente.

* Preciso de tempo para pensar: amoreco, se você precisa de tempo para pensar se é isso que você quer, assuma logo que não é. Quem quer, sabe o que quer.

* Acabei um namoro agora e preciso ficar um tempo sozinho: homens não sabem sair com alguém mais de uma vez sem considerar a hipótese de que o caso está virando namoro? Ou para o universo masculino somos mesmo um bando de neuróticos que a partir do 3º encontro já fazemos nossa listinha de cobranças e alteramos o status da relação para “namoro”?

* Você gosta de Caetano: essa eu achei original, mas pelo jeito o universo deste sujeito é bem restrito ou ele realmente tem uma relação traumática com o Caetano.

* Quero ser seu amigo: obrigado, por enquanto não estou preparado para uma relação que não envolva sexo com você, não vou me sentir bem se vê-lo aos beijos com outro, vou odiar você vir me contar sobre seus pretendentes. Quando eu conseguir enxergá-lo de maneira assexuada, eu te ligo e aí a gente vê se tem algo em comum o suficiente para sermos amigos.

Esses são os foras clássicos e dados sem qualquer imaginação. Talvez sejam falados desta maneira porque o que está dando o fora sinta-se em uma situação desagradável, não quer magoar o interlocutor, sempre acredita que ele está apaixonado. Homens muitas vezes são prepotentes.

Concordo que dar um fora em alguém não é algo simples, ficamos cheios de dedos e nunca sabemos por onde começar. Não há fórmula, mas acho que dizer a verdade é sempre bom, mesmo que ela não seja agradável. O que sinto é que quem dá um fora, muitas vezes quer deixar uma portinha aberta no caso de se arrepender e querer voltar atrás, acreditando que sempre estaremos disponíveis.

Anúncios

Ações

Information

4 responses

19 04 2007
Tereza

ah, não vou me repetir.

já falei sobre esses e outros clássicos do pé na bunda que ouvi em outro post =]

=**

.eZa.

26 04 2007
Moleka Doida

me identifiquei horroooooores com o último fora!!!!!!!

31 12 2007
Sonahra

Meu Deus, ser amigo é o pior!!!!!!!!Se bem q. fora é tudo ruim…mas eu concordo, q. qdo diz qro ser seu amigo, tá querendo dxar a porta aberta. O meu último me disse isso. E eu disse: ___Se eu quisesse ser sua amiga, nunca teria ficado com vc.

15 03 2010
Carla

Eu acho que a pior coisa do mundo é pessoa sacana que nao sabe dizer que não está a fim de voce e pra te fazer mais ainda de otária combina de sair a noite, voce toda feliz acha que ja conquistou a paquera e esse imbecil simplesmente te deixa esperando sentada ao lado do telefone. Um animal desses merece vingança da parte de varias mulheres pra aprender a amadurecer e nao brincar com outras pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: