Sobre as experiências relevantes.

18 04 2007

Tenho um amigo na flor dos seus 20 anos e que nunca saiu pra “night” na cidade em que moramos. Desde que ele se mudou para cá ele namora sério um carinha aí. Ok, mas por que falar do meu amigo-que-nunca-saiu-pra-se-divertir-sozinho-na-nossa-cidade? Deixem-me explicar.

Cheguei à conclusão que antes de namorar sério com alguém a gente tem que ter tido algumas experiências pelo menos… Relevantes. Por exemplo, se hoje após três anos de namoro(do meu amigo, não meu, eu não estou pegando nem vento!) aparece uma “aventura” pra ele, vai ter que dizer não, certo? Errado. Ele diz que se essa “aventura” aparecer, ele não vai recusar, mas ele vai trair o namorado de três anos? Sim vai, e diz que nem com a consciência pesada fica. Mas onde fica o real sentido do relacionamento monogâmico nessa hora? Alguém me ilumina a mente de conceitos de novo por favor!

Ficaria feliz se estivesse numa relação de três anos, mas não sei se estaria realmente preparado pra isso. Teria que renunciar á muita coisa que hoje, solteiro(sim, sozinho nunca!) posso viver livremente, sem cobranças, ligações e picuínhas que todo “namorando” tem. Tudo bem que essas coisinhas todas que os “namorandos” têm fazem falta mas aí a gente arrajar um caso e tudo se resolve.

Além de experiências relevantes acho também que umas excêntricas valem muito à pena. Não irei relatar as minhas por aqui, mas digo que ele morre de vontade de ter algumas das minhas. Por isso que digo á ele que se ele quer esse tipo de experiência deve deixar esse relacionamento.

Calma! Não digo isso porque detesto casais felizes e saltitantes por aí, digo isso por que eles estão meio mal das pernas sabem, opinião minha, estão empurrando com a barriga, mas quando digo isso ao meu amigo ele vem e começa a me falar de “zona de conforto” ou ” as vantagens ideáis de se ter um namorado!”(o que pra mim parece nome de livro de auto-ajuda-que-não-ajuda-em-nada!) e mais uma vez caímos numa discussão sem fim, mas tudo bem!

Claro que pra cada uma conceitos são conceitos e cada um têm os seus, não é verdade? Meus conceitos estão entrando em obras, bem parecidas com as da prefeitura de Belém, devo dizer. Mas é sempre bom mudar conceitos ou ajudar a estabelecer “tendências-relacionais” mesmo que não mude nada de fato, mas sua parte você já tentou fazer, como diz minha mãe, plantou a sementinha, vai que um dia ela nasce, eu hein!!

Anúncios

Ações

Information

3 responses

18 04 2007
Raffael

acontece que uma hora você fica farto de ter experiências insignificantes ou supérfluas. acontece que uma hora estar sozinho cansa. acontece que um belo dia você acorda e ninguém liga de te procurar e você gostaria de ter alguém que o fizesse. acontece que amigos e ficantes não ligam muito pros seus sentimentos, e nem sempre podem te dar o afeto que você precisa.

existem milhares de motivos pra iniciar um relacionamento monogâmico e, bem, um compromisso sério. mas é preciso amadurecer pra isso, é preciso ter experiência suficiente pra saber o que você espera da sua vida e do seu futuro, e é preciso saber escolher com quem contar pra acompanhar de perto suas derrotas e vitórias (alguém que não seja sua mãe).

e além disso, é bom poder compartilhar.

claro que com o tempo e com muita astúcia, você percebe que relacionamento não é somente dar uns beijinhos de tarde e ligar no final do dia pra dar boa noite. tem que saber ficar, confiar e dar confiança, esperar, compreender. sobretudo é preciso ser responsável. quando você é só, você não exercita as grandes virtudes que um relacionamento pode questionar.

óbvio que tem o lado ruim, os conflitos, as crises. mas como disse algum filósofo, a crise é o início da mudança, é a razão da evolução. da crise nascem as necessidades. você sempre pode fugir dos conflitos, mas pode também encará-los e ultrapassá-los. basta decidir.

eu não acho, bernardo, e isso é minha opinião, que um relacionamento, um compromisso com alguém possa te dar algo ruim. das minhas poucas experiências em relacionamentos, saí de todos um pouco mais maduro do que os comecei, até que escolhi ficar em um, talvez não só por querer, mas por sentir algo diferente também.

talvez um dia você entenda o que eu estou dizendo, mas enquanto isso, continue experimentando.

18 04 2007
parelha

Raffa,
Creio que você esteja completamente certo quando diz “que um relacionamento, um compromisso com alguém possa te dar algo ruim.” eu concordo muito sim, e sim, das minhas poucas experiências eu tb aprendi foi muito, hoje sou muito diferente por causa delas, e mudei pra melhor. Esse texto tem uma datazinha antga, o fiz tem um ano eu acho, esqueci de mencionar, desculpa, e sim tudo que você disse no início é a mais pura verdade. Estou na fase de um relacionamento sério, mas não apareceu ainda, acho que Eu estoou na fase, mas os outros não, fazer o que, enquanto isso, vamos vivendo! Não creio que isso me incomode, não, não, mas sim, experimentar eu cansei, agora vou eu e eu, experimentar só se for bebida ou comida de outro país, que de brasileira cansei!

beijos amigo!

26 04 2007
aleixo frança

vc poderia escrever contos….paródias entre outras, mas vc estaria perfeito para fazer psicodrama, pois coloca toda sua demanda interior….vamos trabalhar isso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: